Imobiliária em Joinville SC | Anagê Imóveis | Compra, Venda e Aluguel

Imóveis favoritos Não há favoritos adicionados
Você pode adicionar imóveis aos favoritos
clicando no ícone
Histórico de visualização Nenhum imóvel foi visualizado

Queda de juros do financiamento imobiliário: é hora de comprar!

8 de maio de 2020 por anage-imoveis

juros-do-financiamento-imobiliário-1

A Taxa Selic está nos patamares mais baixos da história no país. O cenário é otimista para quem pensa em comprar a casa própria ou investir em imóveis, pois registra também queda nos juros do financiamento imobiliário. Para que você entenda melhor os caminhos que levaram a essa redução, preparamos este artigo.

Queda nos juros do financiamento imobiliário

A Taxa Selic – taxa básica de juros do setor econômico no Brasil – é determinada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central e influencia as movimentações financeiras. Por isso, a queda da Selic resultou na redução de juros do financiamento imobiliário.

A Selic está fixada atualmente em 3% ao ano – o menor patamar da série histórica, realizada desde 1996 – e com expectativa de nova redução em junho, podendo chegar a 2,75% ao ano – patamar em que fecharia 2020.

A queda nas taxas de juros do financiamento imobiliário somada ao resultado positivo do crédito habitacional (com recursos da Caderneta de Poupança) em 2019 – crescimento de 59,6% em novembro, se comparado a novembro de 2018 – traz expectativas favoráveis para esse ano, mesmo com os impactos da Pandemia da Covid-19.

Principais linhas de crédito

Em busca de atrair os clientes, os bancos oferecem condições diferenciadas. Vale pesquisar e analisar quais as melhores condições antes de fechar negócio.

Atualmente, o banco com a menor taxa de juros é a Caixa: a partir de 6,5% ao ano + TR para clientes. Quanto ao limite máximo para o financiamento, a Caixa cobre até 80% do valor para imóveis novos e  usados – assim, você já pode calcular o valor mínimo de entrada para o financiamento da Caixa. Com o COVID-19, a Caixa ainda lançou recentemente a facilidade de começar a pagar as prestações do financiamento após 180 dias da assinatura do contrato.

Já o Santander oferece uma taxa mínima de juros de 7,99% ao ano + TR. Em vez de reduzir a taxa de juros, o banco optou por tornar o valor da entrada mais acessível e é o único banco a trabalhar com entrada mínima de 10%. Além disso, aumentou o limite de financiamento para 90% do valor do imóvel.

Em abril, o Itaú também baixou sua taxa de juro mínima para a linha de crédito imobiliário para 7,3% ao ano + TR. Já o Banco do Brasil anunciou, após a redução da Selic para 3%, em maio, queda nas taxas mínimas da linha de crédito Imóvel Próprio, passando de 0,94% para 0,88% ao mês.

Todos os demais grandes bancos do país oferecem linhas de financiamento imobiliário com percentuais atrativos e se a SELIC continuar em queda, é possível que as taxas continuem caindo e que outros bancos anunciem novas medidas. De maneira geral, há um grande volume de recursos destinados às linhas de crédito imobiliário (R$ 43 bilhões apenas da Caixa, anunciados em abril de 2020), bem como, novas modalidades de financiamento, como a modalidade indexada ao IPCA. O cenário beneficia o interessado em comprar imóveis e amplia as possibilidades para o financiamento.

Tipos de financiamento imobiliário

Entre os financiamentos imobiliários, destaca-se a modalidade por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), com recursos da Caderneta de Poupança indexados à TR, bem como aquele feito fora do SFH, realizado por indexadores como IPCA ou IGPM. Além da nova linha da Caixa, com financiamento via Poupança com indexador pelo IPCA. 

Clique aqui para conhecer detalhadamente as principais opções e escolher a melhor linha de crédito imobiliário para você. É possível imaginar vários cenários como comprar apartamento com entrada baixa ou considerar parcelas mais atrativas.

Como funciona o financiamento imobiliário

O financiamento imobiliário pode ser contratado para a compra de imóveis novos ou usados. O pagamento pode ser feito em até 35 anos. Para dar início ao processo, o banco faz a avaliação do imóvel e verifica, de acordo com o perfil do cliente, as condições de pagamento. 

A parcela do financiamento pode ser de até 30% da renda familiar bruta do contratante e é possível utilizar o FGTS como parte do pagamento, se seu imóvel for financiado pelo SFH. Se você está pensando em contratar uma linha de crédito imobiliário é possível fazer uma simulação de financiamento

O próximo passo será a análise de crédito pela instituição bancária que você escolheu para contratar a linha de crédito imobiliário. Para isso, o banco solicitará a documentação exigida, como documentos pessoais e comprovante de renda. Depois, é feita a análise do imóvel, com a avaliação do valor de venda, das condições de uso e da documentação.

Assim que houver liberação da análise de engenharia e da análise de crédito, você deve escolher o sistema de amortização (PRICE ou SAC) e o contrato já pode ser assinado.

Para obter o financiamento imobiliário, é necessário pagar um valor de entrada, correspondendo a uma porcentagem do valor total do bem – conforme a modalidade de financiamento escolhida. O restante da dívida é parcelado conforme o prazo estabelecido no contrato.

Simulação de financiamento Anagê

Depois de entender um pouco mais sobre como a queda de juros de financiamento aquece o mercado imobiliário, que tal fazer uma simulação de financiamento com a Anagê Imóveis? É fácil e rápido, e você fica já ficará conhecendo os detalhes sobre prazos e condições. Clique aqui para fazer a sua simulação.

Aproveite para conhecer os imóveis à venda no site da Anagê.

 

Categorias: Sem categoria

Deixe um comentário

*

Pensando em comprar ou alugar um imóvel?
Deixe seu e-mail e receba nossas dicas e novidades!