Imobiliária em Joinville SC | Anagê Imóveis | Compra, Venda e Aluguel

Imóveis favoritos Não há favoritos adicionados
Você pode adicionar imóveis aos favoritos
clicando no ícone
Histórico de visualização Nenhum imóvel foi visualizado

Bancos anunciam medidas para incentivar financiamento imobiliário

14 de maio de 2020 por anage-imoveis

financiamento-imobiliario-joinville-2

A queda histórica da Taxa Selic no Brasil propicia um momento único e favorável para quem pretende comprar um imóvel por meio de financiamento imobiliário. A partir do anúncio da redução da taxa básica de juros da economia no país, vários bancos têm anunciado medidas para incentivar o crédito imobiliário.

A Selic é referência para as demais taxas de juros, como as aplicadas em linhas de crédito, incluindo o financiamento imobiliário. Assim, se você está a procura de casa para comprar em Joinville ou apartamento para comprar em Joinville, saiba que esta pode ser a hora propícia para fechar negócio.

Da mesma maneira, o proprietário que tem casas  ou apartamentos à venda em Joinville, pode ampliar as expectativas de negociação para os próximos meses.

A última redução da Taxa Selic (só em 2020 já foram três quedas até a segunda semana de maio) manteve a taxa em 3% ao ano. Esse é o menor nível do percentual desde o início da série histórica do Banco Central, em 1996.

Medidas de incentivo ao financiamento imobiliário

A queda da Taxa Selic é determinada a fim de estimular a economia do país, uma vez que juros menores tornam o crédito mais barato, além de incentivar a produção e o consumo. Neste momento, a decisão do Copom teve como principal gatilho a Pandemia da Covid-19 (Coronavírus), que interfere no cenário econômico mundial. 

Para incentivar o financiamento imobiliário, vários bancos do país anunciaram queda nas taxas de juros e outras medidas, como a prorrogação de prazo para pagamento de parcelas. Acompanhe a seguir as principais medidas anunciadas e entenda porque você deve aproveitar para investir em imóveis.

Caixa

– Pausa de 90 dias no financiamento habitacional, para clientes adimplentes (que estão com o pagamento em dia) ou com até duas parcelas em atraso, incluindo contratos em obra. Pode haver ampliação, se necessário;

– Clientes que utilizam o FGTS para pagar parte das parcelas do financiamento podem solicitar pausa de 90 dias no pagamento da parte da prestação não coberta pelo FGTS. Para esses casos, também é possível continuar pagando as parcelas com redução do valor, pelo prazo de 90 dias. Válido somente para clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso;

- Carência de 180 dias para o pagamento das parcelas de novos contratos de financiamento imobiliário;  

– Para novos financiamentos utilizadas para a construção de imóveis, será permitida a liberação antecipada de até duas parcelas, sem a vistoria;

– Renegociação de contratos com clientes em atraso entre 61 e 180 dias, possibilitando pausa ou pagamento parcial das prestações.

Em pronunciamento oficial realizado em abril e divulgado pela Agência Brasil, a Caixa informou que as ações representam R$ 43 bilhões em recursos no mercado imobiliário nos próximos meses e poderão beneficiar mais de 5 milhões de famílias. A Caixa também anunciou medidas voltadas a empresas e ampliou o prazo de vencimento de laudos e de avaliações.

Itaú

– Prorrogação de 60 dias nos pagamentos de financiamento imobiliário. Na maioria dos casos, a renegociação não terá juros adicionais e as parcelas serão transferidas para o fim do prazo do contrato. Vale para clientes que não têm parcela em atraso. Nos demais casos, a indicação do banco é buscar outro tipo de renegociação.

Santander

– Para clientes com as prestações em dia e com contratos feitos até 13 de março de 2020, o banco permite a solicitação de suspensão dos pagamentos por 60 dias, sem cobrança de juros adicionais ou multas. Porém, as parcelas subsequentes serão recalculadas para comportar os juros do período em que não houve pagamento.

Banco do Brasil

– Prazo de carência entre 60 e 180 dias para pagamento da primeira ou da parcela seguinte, de acordo com o produto escolhido. Também pode ser acionado o Pula Parcela, programa que possibilita flexibilizar o cronograma de pagamento da prestação, ficando de um a dois meses sem pagar.

As medidas citadas aqui devem ser confirmadas com as instituições bancárias e valem de acordo com período estipulado pelo banco. A recomendação é de que as solicitações de renegociação sejam feitas pelos aplicativos, sites ou centrais de atendimento dos bancos. Além dessas listadas aqui, outras instituições bancárias do país também adotaram medidas para facilitar e estimular o crédito imobiliário. 

Dúvidas sobre financiamento imobiliário

Se você tem interesse em saber mais informações sobre financiamento imobiliário: como dar entrada no apartamento ou casa, o que precisa para comprar um apartamento ou casa, como funciona a compra de um apartamento ou casa, se é possível usar o FGTS para comprar terreno, casa ou apartamento e ainda qual o valor mínimo de entrada para financiar um imóvel, conte com os consultores da Anagê Imóveis. Clique aqui para deixar a sua mensagem. Para fazer uma simulação de financiamento imobiliário, acesse o site da Anagê Imóveis.

 

Você também pode gostar de:

Queda de juros no financiamento imobiliário: é hora de comprar!

 

Categorias: Sem categoria

Deixe um comentário

*

Pensando em comprar ou alugar um imóvel?
Deixe seu e-mail e receba nossas dicas e novidades!