Imóveis favoritos Não há favoritos adicionados
Você pode adicionar imóveis aos favoritos
clicando no ícone
Histórico de visualização Nenhum imóvel foi visualizado

Inadimplência: o que significa e como lidar com a situação

27 de agosto de 2021 por Anagê
Inadimplência: o que significa e como lidar com a situação

O que é inadimplência? É o mesmo que estar com o “nome sujo”? Como é a inadimplência no mercado imobiliário?

De acordo com o Mapa da Inadimplência, divulgado pelo Serasa, cerca de 62,56 milhões de brasileiros estavam endividados no mês de maio deste ano. Isso corresponde a cerca de 39% da população brasileira.

Em números absolutos, São Paulo possui o maior  volume de negativados, com mais de 15 milhões, seguido pelo Rio de Janeiro, com 6,15 milhões e Minas Gerais com 5,9 milhões. Bahia (3,92 milhões) e Paraná (3,27 milhões) aparecem logo na sequência.

Mas o que é a inadimplência? O que significa estar inadimplente? Como é a inadimplência no imobiliário e como lidar com a situação?

O que é inadimplência?

No geral, a inadimplência é o descumprimento de qualquer obrigação financeira, ou seja, quando um pagamento previsto em contrato não é realizado. Por exemplo, quando o pagamento de uma parcela de financiamento imobiliário, fatura do cartão de crédito ou mesmo o aluguel de um imóvel não é feito. 

Vale destacar que a inadimplência também pode ocorrer com pessoas jurídicas, quando uma empresa deixa de cumprir um compromisso financeiro registrado em contrato legal.

No Brasil, a consequência da inadimplência é ficar com o “nome sujo”, que é o momento em que os órgãos de proteção ao crédito (SPC, Serasa e Boa Vista) são acionados e restringem o nome e CPF da pessoa que está em inadimplência. 

Inclusive, os índices de inadimplência são calculados por esses órgãos.

É importante ressaltar que estar inadimplente é diferente de possuir uma dívida. Assim, é possível entrar em inadimplência por conta de uma dívida, mas nem toda dívida é uma inadimplência. 

Para ficar mais claro, pense que uma compra parcelada no cartão de crédito é uma dívida, ou seja, se trata de uma compromisso assumido a longo prazo e que deve ser cumprido conforme o número de parcelas estipuladas no momento da compra. Já a inadimplência ocorre se uma dessas parcelas não for paga, mais uma vez, é um compromisso financeiro que não foi cumprido.

Por fim, saiba que é possível estar inadimplente sem ainda ter o nome registrado nos principais órgãos de proteção ao crédito. Isso acontece porque as empresas costumam aguardar alguns dias após o atraso no pagamento antes de fazer o comunicado da dívida aos órgãos. 

Logo após o comunicado, o consumidor será informado sobre o atraso e terá um prazo para realizar o pagamento antes que o seu nome seja registrado como inadimplente.

A principal consequência da inadimplência é que quanto maior o tempo da dívida, maiores serão os juros que vão incidir sobre o montante inicial. Para o mercado, ter o nome registrado nos órgão de proteção ao crédito significa que a pessoa é má pagadora e, assim, ela encontrará dificuldades para 1. realizar qualquer tipo de financiamento, seja de imóvel carro ou bens; 2. Abrir conta corrente ou conseguir um empréstimo; e, 3. pessoas com o nome sujo podem ter seu Score reduzido de forma significativa.

Como sair da inadimplência

Sair da inadimplência só é possível depois de quitar as dívidas que te levaram a estar inadimplente. Uma dica importante é entrar em contato com a empresa com quem está a dívida e negociar um pagamento que você consiga cumprir. 

Caso o valor seja muito alto, é possível negociar o pagamento em parcela e, assim que a primeira for paga, a empresa acionará os órgãos de proteção ao crédito e o nome será retirado da lista de inadimplentes. Contudo, é importante mencionar que, caso as próximas parcelas não sejam cumpridas, o nome volta para a lista.

Inadimplência devido ao não pagamento do aluguel

O não pagamento de aluguéis também resulta em inadimplência. Por isso, para lidar com os atrasos, inquilinos e imobiliárias contam com garantias locatícias como o seguro-fiança, que concede ao proprietário a garantia do pagamento do aluguel ainda que ocorram atrasos por parte do inquilino. A contratação do seguro-fiança fica por conta do inquilino e pode ser adquirida em diversas instituições como bancos e seguradoras.

Como benefício para o inquilino, não é preciso que ele saia em busca de um fiador, nem deixe um cheque caução como garantia. Além da praticidade e rapidez em alugar um imóvel, quem aluga passa a contar também com alguns benefícios como assistência residencial, manutenção e pequenos reparos, seguro incêndio, entre outros. Esses benefícios variam de acordo com a seguradora e tipo de seguro contratado.

Outro ponto positivo do seguro fiança é que ele pode incluir ainda tanto a garantia de indenização em caso de inadimplência, como a cobertura de contas de manutenção do imóvel, ou seja, água, luz e IPTU em casos de falta de pagamento, bem como reparo de danos ao imóvel.

Por que contar com uma imobiliária

Um agente imobiliário no processo de locação é essencial para assegurar a integridade do imóvel, mediar problemas, garantir que tudo corra bem ao longo do período de aluguel, além de fornecer suporte jurídico. É essencial que toda a negociação seja registrada através de um contrato de aluguel que possui validade legal. 

Aqui na Anagê nós possuímos consultoria jurídica especializada no mercado imobiliário e somos responsáveis por milhares de imóveis em Joinville e região. Caso tenha restado alguma dúvida, não deixe de entrar em contato com os nossos especialistas e conte conosco na hora de alugar um imóvel.

Categorias: Alugar imóvelTags:, |

Deixe um comentário

*

Pensando em comprar ou alugar um imóvel?
Deixe seu e-mail e receba nossas dicas e novidades!